logo unimontes original

O teu browser naéo suporta flash. Favor reinstalar o plugin do Flash Joomla Random Flash Module by DART Creations
seta Universidade Estadual de Montes Claros - MG | Sexta-Feira, 22 de setembro de 2017 | relogio 17:31

Telessaúde registra 3,32 milhões de exames - um dos polos funciona em Hospital da Unimontes

O sistema de Telessaúde, atendimento a distância instalado a partir de uma parceria entre universidades, proporciona uma grande melhoria na assistência à população de Minas Gerais, com abrangência de 780 municípios. Desde a implantação, em 2005, o serviço já alcançou 3,26 milhões de laudos de exames e 109,25 mil teleconsultorias atendidas. O Núcleo de Telemedicina do Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), é um dos polos da Rede de Telessaúde de Minas Gerais. O programa conta com a parceria do Governo de Minas Gerais, por intermédio da Secretaria de Estado de Saúde.
 
Uma das grandes vantagens do atendimento a distância é a redução de despesas com os deslocamentos dos pacientes. Segundo a coordenação do Telessaúde, desde que começou a funcionar em todo Estado, o sistema já proporcionou uma economia de R$ 195 milhões, montante que deixou de ser gasto com as viagens das pessoas que receberam a teleassistência. Já foram feitos até hoje 3.316.097 eletrocardiogramas digitais, 3875 retinografias digitais, e 111 mil teleconsultas à distância. 
 
Com a coordenação geral feita pelo Hospital das Clínicas, da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG), A Rede de Telessaúde de Minas Gerais é constituída por uma equipe de profissionais de saúde e de informática e, também, por gestores de saúde. São oferecidos atendimentos a distância de teleconsultoria e telediagnóstico por intermédio da Rede de Teleassistência de Minas Gerais (RTMG), integrada por sete universidades públicas sediadas no Estado, entre as quais a Unimontes.
 
Os especialistas da rede auxiliam e oferecem consultas aos médicos da atenção primária, além de analisar os eletrocardiogramas e outros exames. Transmitidos via internet, os dados são analisados pela equipe do programa com o retorno imediato ao médico da atenção básica e a orientação para os procedimentos e condutas junto aos pacientes.
 
Além da vantagem financeira, o Telessaúde proporciona como grande ganho aos pacientes a agilidade das consultas, garantindo a rapidez no diagnóstico e no tratamento. Como exemplo, tem um projeto feito em caráter experimental, testado em pequena escala, por um curtoperíodo de 11 meses (entre abril de 2016 a fevereiro de 2017), que buscou os pacientes das filas de espera de atendimento, em 3 especialidades, e conseguiu a retirada da fila de espera – para consultas especializadas – de 80% dos pacientes que aguardavam por atendimento nas três especialidades. De 346 pessoas que esperavam na fila pelas consultas com médicos especialistas, 277 foram atendidas pelo sistema a distância. No período analisado, foram prestadas teleconsultas nas áreas de dermatologia (178), endocrinologia (116), ginecologia/obstetrícia (52).

 

REFERÊNCIA 

 

O coordenador do Polo do Telessaúde e da RTMG do Hospital Universitário Clemente de Faria é o professor André Pires Antunes, que ressalta que o serviço de teleconsultas de Minas Gerais tornou-se referência nacional na melhoria do atendimento a saúde. Ele destaca que a unidade sediada no Hospital da Unimontes desempenha papel estratégico na Rede de Teleassistência, respondendo por 130 municípios do Norte de Minas, do Vale do Jequitinhonha e também das regiões Noroeste e Central.

 

Telessaude agosto

 

Telessaude cpu

 

O serviço também possibilitou a melhoria da assistência à população com o projeto que implantou eletrocardiogramas digitais em todas asambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (SAMU) na macrorregião do Norte de Minas. O objetivo foiaprimorar o atendimento e o tratamento dos casos de infarto no miocárdio e de síndromes coronarianas agudas na urgência. Com a instalação dos eletrocardiogramas digitais nas ambulâncias, ocorreu uma redução de 5,6% da mortalidade por infarto no miocárdio na macrorregião Norte.
 
FOMENTO ÀS PESQUISAS
 
O professor André Pires Antunes salienta que o sistema de telessaúde da RTMG também propicia um avanço da pesquisa científica e a atualização de conhecimentos por parte de professores, médicos e outros profissionais da saúde. O polo do HUCF conta com uma sala equipada com sistema de videoconferência. A estrutura possibilita que pesquisadores, professores e acadêmicos da área de graduação e participantes dos cursos de residência médica, mestrado e doutorado possam aprofundar seus conhecimentos por meio de palestras e aulas, transmitidas por videoconferência.
 
André Pires Antunes salienta que, por intermédio da estrutura da Rede de Telessaúde, são desenvolvidas diversas pesquisas, que fomentam o intercâmbio com pesquisadores de diferentes instituições. Um exemplo é estudo sobre Doença de Chagas, desenvolvida pelo grupo Samitrop (Centro de Referência São Paulo-Minas Gerais para Biomarcadores em Doenças Tropicais Negligenciadas), que integra pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Estadual de Montes Claros, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ).
 
Este estudo busca desenvolver um modo simples de descobrir o prognóstico de um paciente com Doença de Chagas, analisando os dados do eletrocardiograma, e um exame de sangue.  Este projeto de pesquisa é financiado pelo Instituto Nacional de Saúde (NIH) dos Estados Unidos.
 
PROJETO MINAS TELE MINAS SAÚDE
 
O atendimento a distância foi iniciado em 2006, por meio do Projeto Minas Telecárdio, em 82 municípios mineiros com menos de 10 mil habitantes e, devido a grande redução de encaminhamento de pacientes para as cidades maiores, foi desenvolvido parceria entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG), junto à Rede de Teleassistência de Minas Gerais (RTMG), formando o programa de governo Minas Telecárdio. Na estrutura da SES/MG o projeto está alocado no Programa Estruturador Saúde Integrada.
 
Em 2009, foi celebrado convênio com a Secretaria de Estado de Saúde com o objetivo de implantar serviços de telessaúde em 328 municípios do estado, além de garantir a manutenção dos serviços nos 82 municípios do Projeto Minas Telecardio e nos 97 municípios do Projeto Expansão Minas Telecardio. Em 2011, foi feito aditivo ao convênio com a SES/MG para inclusão de mais 50 municípios ao projeto Tele Minas Saúde.
 
A partir de junho/2012, a prestação dos serviços de telessaúde para os municípios do projeto Tele Minas Saúde foi pactuado através de contrato de prestação de serviços. Em 2014, foi feito aditivo ao contrato para expansão da telessaúde para mais 103 municípios, totalizando 660 municípios cobertos pelo projeto, com financiamento pela SES.

 

UnimontesCampus Universitário Professor Darcy Ribeiro - Vila Mauricéia - Montes Claros - MG

Acesso Restrito